notícias

Treinamento de base

Muitos desconhecem a verdadeira importância do treinamento de base para uma prova de fundo como a Maratona. O atleta, já com um exame clínico completo, que se dispõe a enfrentar tal desafio, precisa ter em mente que alcançar seu potencial como corredor necessita de uma base sólida de treino

Dicas iniciais

Esta base deverá ser iniciada de forma contínua e gradual com uma duração em média de 16 semanas respeitando sempre o princípio da individualidade biológica e trajetória esportiva. Portanto, a carga de treino deverá ser compatível com a distância, intensidade e número de treinos por semana. Ressalta-se que muitos cometem o erro de não cumprir o volume proposto, o que é o mais relevante, pois nesta fase preconiza-se o número de quilômetros corridos e não o tempo gasto em percorrê-los ou ainda, aumentar muito o volume semanal, possibilitando o surgimento de lesões em estruturas importantes como ossos, tendões, músculos e articulações. Outros aspectos essenciais são: os calçados utilizados observando-se o tipo de pisada, terrenos que propiciem uma boa absorção do impacto como terra batida e grama, uma perfeita reposição calórica antes, durante e após cada treino e principalmente o repouso, onde seu corpo irá se recuperar do desgaste sofrido pelo treino.

Treinamento de Base

Benefícios fisiológicos e mecânicos 

A base aeróbia adquirida ao longo do treinamento contínuo com intensidades moderadas e baixas promove adaptações fisiológicas significativas como o aumento da musculatura cardíaca; redução da freqüência cardíaca em repouso e durante o esforço físico de moderada intensidade; maior utilização de gorduras como fonte de energia poupando-se as reservas de glicogênio; assim como uma maior capilarização muscular, entre outros benefícios. Além do trabalho aeróbio contínuo, deve-se também enfatizar a flexibilidade e a resistência anaeróbia. Trabalhos de força e pliométricos também são de grande valia promovendo, segundo alguns estudos, ganhos na economia de corrida. Esta última é considerada um preditor de performance por proporcionar uma redução no custo energético da atividade. Vale frisar que estes exercícios devem ser realizados na época correta, de acordo com o planejamento do treinador em conjunto com o atleta.

Seleção de Provas

Antes de iniciar uma rotina árdua de treinos com base nos aspectos mencionados, procure atentar para as provas que acontecem em diferentes épocas do ano. Maratonas tradicionais como Paris e Chicago servirão como exemplos de comparação. Embora percurso e temperatura sejam semelhantes, atletas devem considerar as adversidades na realização do treino de base. O treino para a Maratona de Paris em abril terá como obstáculos temperatura e umidade relativa do ar mais altas, em se tratando principalmente do Rio de Janeiro, em comparação com a época de treino para Chicago, cujo mês é Outubro. Portanto, deve-se enfatizar sempre a hidratação para a manutenção da temperatura corporal e das funções fisiológicas. A busca por horários apropriados, bem cedo ou início da noite, bem como percursos com temperaturas agradáveis, também se faz necessário. O carioca possui boas opções de treino em locais como : Paineiras, Floresta da Tijuca, Sumaré e Mesa do Imperador, no entanto deve-se considerar que estes percursos são de subida.

Considerações finais

Por fim, a participação em uma Maratona requer esforço, dedicação e muita disciplina. Portanto, o treinamento deve ser planejado e orientado por profissionais especializados e, com certeza, cumprindo todas as tarefas propostas, o sucesso é inevitável.

[facebook]

Gostou desse post? Então compartilhe com os seus amigos!
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on vk
VK
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Deixe o seu comentário
Posts Relacionados
Últimos Posts

TREINUS

Consulte agora a sua planilha de treino e feedbacks.
  • Pesquisar

  • Categorias

  • lugar

TREINUS

Consulte agora a sua planilha de treino e feedbacks.
  • Pesquisar

  • Categorias

  • lugar