notícias

Gasto energético em atividades de endurance

A nutrição é um dos fatores que pode favorecer o desempenho atlético, já que, quando bem orientada, pode reduzir a fadiga, permitindo que o atleta treine por mais tempo ou que se recupere melhor entre os treinos; reduzir as lesões ou ajudar na recuperação das mesmas; aumentar os depósitos de energia para a competição; e finalmente por ajudar a saúde geral do atleta.

.

A maior preocupação dos atletas de endurance é conseguir manter um ritmo considerado ideal durante toda prova. Para isso, além de um treinamento físico bem direcionado, o atleta precisa consumir uma adequada quantidade de energia para sustentar as demandas do esforço físico realizado.

O substrato energético utilizado pelo organismo vai depender da natureza, intensidade e duração do exercício; do consumo alimentar; do ambiente em que é realizado; e de uma variedade de fatores individuais como idade, sexo, peso e composição corporal, tipo de fibra muscular predominante, estado de treino e habilidade técnica.

As principais fontes de energia para os exercícios prolongados são os carboidratos e as gorduras. No entanto, vem sendo demonstrado que o esforço físico prolongado e a depleção do glicogênio aumentam a parcela de contribuição protéica à demanda energética do exercício.

O custo energético de uma prova de endurance está diretamente ligado à distância e ao ritmo da prova, à habilidade técnica do atleta e à sua massa corporal.

O gasto energético durante uma competição varia, por exemplo, de 5.000kcal (triathlon com 1,9km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida) até 18.000kcal (corrida com 24 horas de duração).

Em virtude do grande gasto energético durante as competições e rotinas de treinamento, os atletas de endurance devem consumir 70% ou mais de carboidratos na dieta, principalmente na semana anterior à competição. Atualmente, é preferível recomendar o consumo de carboidratos em gramas por quilo de peso corporal, sendo que a quantidade estimada para esses atletas seria de 7 a 10 gramas por quilograma de peso.

Sendo assim, os atletas ou praticantes de provas de endurance precisam de uma alimentação adequada às necessidades energéticas da modalidade esportiva da qual participam, devendo sempre seguir as orientações do(a) seu(sua) técnico(a), que deve trabalhar diretamente em conjunto com um(a) nutricionista, e ambos precisam estar sempre bem atualizados, para que a melhora do desempenho nas competições possa ser alcançada com sucesso e de forma saudável.

Antonio Marcio Domingues Ferreira – Profissional de Educação Física (CREF 000157-G/RJ
Maria Celia Schiling Apel – Nutricionista ( CRN 89100361-4)
BestFit – Avaliação Física e Treinamento – www.bestfit.com.br

[facebook]

Gostou desse post? Então compartilhe com os seus amigos!
Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on vk
VK
Share on twitter
Twitter
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email
Deixe o seu comentário
Posts Relacionados
Últimos Posts

TREINUS

Consulte agora a sua planilha de treino e feedbacks.
  • Pesquisar

  • Categorias

  • lugar

TREINUS

Consulte agora a sua planilha de treino e feedbacks.
  • Pesquisar

  • Categorias

  • lugar