Natação, uma grande aliada da corrida

*Por Rafaela Leite

As atividades na água complementam o treino desportivo. Os efeitos benéficos da água vão além do relaxamento muscular, sendo utilizados na reabilitação desde os tempos de Hipócrates.

A água apresenta propriedades que facilitam i indivíduo na sua locomoção sem grande esforço, pois a sua propriedade de sustentação e eliminação quase que total da força da gravidade, diminuem o estresse sobre as articulações que sustentam o peso do corpo, auxiliando o equilíbrio estático e dinâmico, propiciando dessa forma maior facilidade de execução de movimentos que em terra seriam difíceis ou impossíveis de serem executados.

O objetivo da natação no corredor lesionado é melhorar a performance através de movimentos semelhantes aos da modalidade, desenvolvendo a cadeia muscular específica, facilitando e melhorando a amplitude do movimento, beneficiando-o no trabalho de resistência e melhorando a capacidade cardiovascular. É uma ótima forma de se recuperar de lesões, tais como fraturas de estresse, problemas nas articulações dos joelhos, tornozelos, coluna ou dores musculares. Também beneficia o trabalho de resistência sem medo de ferimento.

Em relação à capacidade cardiovascular, um corredor pode conseguir o mesmo trabalho na água sem o problema de treinar em superfícies duras. Logo, a natação trabalha os cinco componentes da capacidade física, que são: condição cardiorrespiratória, flexibilidade, composição corporal, resistência e força muscular.

A água também possui propriedades físicas que auxiliam na reabilitação como a pressão hidrostática e a viscosidade que, juntas, vão causar uma maior resistência ao movimento, aumentando a sobrecarga sobre o músculo em ação, e ao mesmo tempo causando um efeito de massagem sobre o mesmo, reduzindo o acúmulo de lactato.

 

OS BENEFÍCIOS DA NATAÇÃO

MELHORA DA CIRCULAÇÃO sanguínea e das funções cardíacas: a ação térmica da água sobre o corpo produz ativação do sistema circulatório e a pressão da água estimula o retorno sanguíneo.

MELHORA DAS FUNÇÕES pulmonares: a prática da apneia e dos mecanismos respiratórios são bons elementos para a melhoria das funções pulmonares.

AUMENTO DA RESISTÊNCIA: a adaptação progressiva ao exercício e a realização, sobretudo, de treinos de média e baixa intensidade e de curta duração proporcionam ao organismo a adaptação mais qualificada para a melhora do metabolismo e das suas consequências positivas, para o aumento da resistência.

PARTICIPAÇÃO DOS GRANDES grupos musculares: ocorre a ativação de todos os músculos esqueléticos, assim como a sua adaptação e fortalecimento progressivos. Só a resistência oferecida pela água será uma carga uniforme e equilibrada mais adequada para o trabalho muscular. Com a prática continuada de atividades aquáticas nota-se, provavelmente, mais melhorias de todos aqueles problemas ocasionados pelas tensões musculares e posturais.

MELHORA A MOBILIDADE articular: devido à flutuação, assim como à pressão constante e uniforme exercida pela água. Muitas lesões articulares recuperam-se com um trabalho adequado na água.

MENOR PRESSÃO da coluna vertebral: a posição horizontal tão comum no meio aquático, assim como o fenômeno de falta de gravidade, promovem uma descarga de pressão na coluna vertebral.

COORDENAÇÃO DOS MOVIMENTOS: a melhoria das conexões nervosas, a harmonia dos movimentos e a correta relação de ordens nervosas e respostas musculares, serão consequência do trabalho físico que se iniciará com a eficiência do movimento.

*Rafaela Leite é fisioterapeuta com pós-graduação em atendimento pós-operatório RPG e Pilates.